VIII CONGRESSO INTERNO FIOCRUZ: ATA E TESE “Inclusão e assistência estudantil”

Ata da Assembleia dos estudantes da Fiocruz

Pauta:

Congresso Interno da Fiocruz 2017

  • Tese dos estudantes
  • Eleição de delegados

A assembleia ocorreu no Auditório Emmanuel Dias, localizado no Pavilhão Arthur Neiva (Campi Manguinhos/RJ) e teve início à 12:45.

Estavam presentes no auditório 15 estudantes. A transmissão online contou com dois estudantes do RJ e oito estudantes da Fiocruz-PE, espectadores registrados e com contribuição.

Primeiro foi explicado a importância, periodicidade e objetivos do Congresso Interno da Fiocruz.

A tese foi apresentada e posteriormente discutiu-se as sugestões apresentadas.

Dentre os pontos a serem acrescidos à tese, que foram aprovados, estão:

  • Salientar estudantes não bolsistas e voluntários;
  • Reforçar que a formação do pós graduando da Fiocruz é para o SUS e para a pesquisa nacional e que isso é essencial para a C&T o desenvolvimento do país;
  • Ressaltar a:
    • importância dos estudantes para o desenvolvimento nacional;
    • garantia do voto paritário em todas as instâncias e decisões institucionais ;
    • garantir o fomento para a divulgação dos produtos oriundos das pesquisas desenvolvidas, bem como, maior transparência na alocação destes;
    • que os FIES e PROUNI possuem limitações;
    • que os estudantes devem obter e-mail institucional da unidade e receber os emails da Fiocruz via lista L;
    • que os processos administrativos relativos aos estudantes sejam imparciais, justos e não vexatórios;
    • garantia de adicional (remuneração) adequado e compatível com o  nível de segurança biológica do laboratório;
    • garantia de adicional (remuneração) adequado e compatível com a jornada de trabalho do estudante.

Encaminhamentos:

Serão apresentadas diretrizes gerais para composição de chapas. Estas diretrizes prezarão critérios de distribuição geográfica, proporcionalidade e níveis de ensino ofertados pela instituição.

No prazo de sete dias após a Assembleia, será encaminhada a proposta de diretrizes para que todo o conjunto de estudantes possa contribuir. Após as contribuições iniciaremos um processo eleitoral eletrônico. Que envolverá carta de apresentação das chapas e votação online.

A Assembleia, inclui nas suas deliberações a convocação do colegiado de representantes discentes, à realizar-se entre novembro e dezembro.

30 de outubro de 2017

______

TESE ENVIADA À COMISSÃO DO CONGRESSO INTERNO

“Inclusão e assistência estudantil”

Preparar profissionais para o Sistema Único de Saúde, público e universal é definitivo para os rumos do país. A continuidade de um projeto democrático passa necessariamente pela formação de novos quadros comprometidos com o desenvolvimento nacional e com a superação das desigualdades. A inclusão e permanência de populações historicamente excluídas dos processos de produção do conhecimento é estruturante para a Fiocruz do futuro.

QUESTÃO / FUNDAMENTAÇÃO

Como atuar de maneira estratégica na formação de profissionais para o SUS e para a pesquisa em saúde, considerando o caráter estrutural da renovação e ampliação de quadros de maneira inclusiva e democrática?

A presente conjuntura apresenta uma cruel contradição: ao mesmo tempo em que altas taxas de desemprego no país se reconfiguram em trabalho informal, precarizado, terceirizado, sem vínculo empregatício nem direitos trabalhistas, cresce também a demanda por qualificação profissional e pós-graduações. As políticas neoliberais de austeridade, implementadas mais fortemente pelo governo Temer, como a reforma trabalhista, o contingenciamento do orçamento público pela Emenda Constitucional 95 e os cortes de investimento em ciência, tecnologia e educação, causam um agravamento das condições de desamparo ao trabalhador. São atingidos especialmente aqueles em condições precarizadas, como os com vínculos terceirizados e bolsistas. Os pós-graduandos bolsistas das agências de fomento, por exemplo, além de terem que se sustentar com bolsas com valores defasados estão sujeitos a atrasos e cortes no pagamento. Por outro lado, parte dos pós-graduandos que não possuem bolsa tem vínculo empregatício precarizado, portanto vivem uma sobrecarga.

A Fiocruz, por meio da pós-graduação lato sensu e de seus mestrados profissionais, possui caráter estratégico na formação de profissionais comprometidos com o SUS e com a manutenção de seus princípios e de sua integridade. Proteger e assistir o aluno de pós-graduação é um ato político para garantir a continuidade do projeto da instituição, especialmente nas condições adversas de desmonte da saúde e de precarização do trabalho. Defender o pós-graduando é defender a Fiocruz e, portanto, o SUS e a saúde como direito de todos.

A pós-graduação stricto sensu, por sua vez, é a principal constituinte das dinâmicas da pesquisa científica dos quais a comunidade da Fiocruz tanto se orgulha. Sem mestrandos e doutorandos acadêmicos não há caracterização do vírus zika, não há pesquisa de doenças negligenciadas, a cadeia produtiva da Fiocruz não avança e não há como se pensar melhorias para o SUS e para a saúde brasileira. Dessa forma, a instituição precisa ter uma política institucionalizada de assistência estudantil, que garanta a continuidade do amparo e da permanência do pós-graduando, independente da conjuntura político-social e das flutuações de interesses de governos e gestões. Defender o pós-graduando é defender a ciência e tecnologia nacionais e, portanto, a soberania e o desenvolvimento do país.

O desamparo do pós-graduando, especialmente na atual conjuntura, resulta em sofrimento mental e na dessolidarização. A ausência de políticas de assistência estudantil reflete-se na formação de um perfil de estudantes elitizado e descomprometido com os interesses públicos. Dessa forma, além de fomentar a permanência é necessário permitir também que se diversifique o perfil do ingressante.

A atual conjuntura apresenta mais uma particularidade à composição da pós-graduação. As políticas afirmativas de cotas sociais e raciais, junto com políticas de inclusão ao ensino superior, como Fies e Prouni, adotadas na última década diversificaram significativamente o perfil do egresso da graduação e do potencial aluno de pós-graduação. Essas políticas também reforçam a necessidade de medidas de permanência estudantil e do aumento na alocação de recursos para garantir a qualidade dos processos educacionais.

A pós-graduação, historicamente reservada às elites financeiras e intelectuais, tem agora a possibilidade sem precedentes de diversificar seus componentes. Nós acreditamos, portanto, que é obrigação da instituição assegurar a democratização do direito à pós-graduação como forma de dar continuidade à superação dos mecanismos estruturais de manutenção das desigualdades.

Salientamos a importância de incluir nos processos de especialização profissional e de produção científica pessoas de todos os estratos sociais, gêneros, raças e etnias. Primeiro, porque uma medida inclusiva nesse sentido se refletiria na diversificação dos componentes do mercado de trabalho, do SUS e do Complexo Econômico e Industrial da Saúde (CEIS). Segundo, porque os atores que participam da ciência são constituintes do conhecimento gerado e, portanto, alteram substancialmente esses saberes. Permitir que as populações marginalizadas participem diretamente das dinâmicas de produção de conhecimento é fomentar a ciência cidadã, interessada nos problemas locais e específicos a essas populações. É, prioritariamente, defender o SUS em sua universalidade e considerar as particularidades de um país com a dimensão e diversidade continentais do Brasil.

DIRETRIZES POLÍTICO-INSTITUCIONAIS DA FIOCRUZ

Promover a assistência e a qualidade de vida dos profissionais em processo formativo que frequentam a instituição, sejam eles bolsistas, não bolsistas ou colaboradores voluntários, por meio da aprovação de uma Política Institucional de Assistência Estudantil.

Garantir o transporte dos estudantes até a Fiocruz ao permitir o acesso desses aos transportes institucionais e ao ampliar essas iniciativas.

Assegurar condições adequadas de moradia aos estudantes que necessitarem, através de seleção pública, como compromisso estrutural na formação de pessoas e de inclusão na direção romper com as desigualdades.

Subsidiar restaurantes que forneçam alimentação saudável, diversificada e de qualidade a preços populares e compatíveis às possibilidades financeiras dos estudantes da Fiocruz, como critério de licitação, contratação e cessão de espaços.

Adotar políticas afirmativas de cotas raciais e sociais para garantir a inclusão de grupos historicamente excluídos em todos os programas de pós-graduação da Fiocruz.

Assegurar vagas nas creches para os filhos das mães e pais estudantes. Especialmente para garantir que mulheres não tenham que abandonar os processos formativos devido à maternidade e evitar assim uma injustiça de gênero.

Desenvolver políticas institucionais de assistência psicológica e contra o assédio ao estudante da pós-graduação.

Garantir o fomento para comunicação científica (publicação em periódicos, participação em congressos) dos produtos e resultados oriundos das pesquisas desenvolvidas, bem como, maior transparência na alocação destes recursos.

Estruturar os processos administrativos relativos aos estudantes, como aqueles de desligamento e corte de bolsa, de modo que eles sejam imparciais, justos e não vexatórios. Que haja transparência em processos públicos e democráticos.

Vincular os e-mails dos estudantes da Fiocruz à lista L para que todos recebam notícias institucionais, inclusive aquelas referentes às condições de segurança do campi. Conceder a cada estudante um e-mail funcional com domínio da unidade a qual é vinculado.

Garantir representatividade estudantil democrática nas instâncias de gestão da instituição. Assegurar o direito a voto paritário da classe dos estudantes nos processos institucionais eleitorais e deliberativos.

Superar a médio e longo prazo todos os mecanismos de precarização da vida, como comprometimento inalienável das instituições de saúde.

Regulamentar os diferentes vínculos de trabalho do pós-graduando e atentar-se aos diferentes processos em que estão inseridos, tais como exaustivas jornadas e condições de trabalho permeadas por várias classes de risco.

Reafirmar seu compromisso institucional de defesa dos pós-graduandos frente às políticas públicas e ações dos órgãos de fomento, indução e estruturação da pesquisa no país e nos estados nos quais a Fiocruz está presente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s